sábado, maio 21

Cheiro




Ainda antes de comunicarmos, eu percebi, que as vezes que ainda me ia lembrando de ti – ainda que cada vez mais ocasional – era por este odor que ainda se fundia em mim. Deixavas sempre um pouco do teu cheiro por entre as minhas coisas – antes de partires - e às vezes, muitas quando não procurava por ele, manifestava-se. E talvez por isso, o teu cheiro, sempre se moldou bem em mim: conseguia nutri-lo sem repugnar.
Experimentei outros odores – quando um dia tiveste de partir – mas nenhum penetrou na minha pele, como o perfume que tu retiveste em mim. A exaltação da olfacção que estremavas em mim – ainda que também ela ocasional – nunca adormeceu na minha pele. E é por isto, que ainda me apaixono por ti, sempre que te vejo. Porque tal e qual como o cheiro, estás entranhado em mim.
Assim, ainda antes de comunicarmos, quando só te ia espreitando, por entre os cabelos, eu sentia uma saudade densa – aliás como o cheiro - como se tivéssemos passado demasiado tempo separados. Ainda quando só te via de longe – ainda sem termos voltado a trocar uma palavra – esta paixão que deixávamos morrer quando cada um de nós voltava para as suas casas, talvez por o cheiro atenuar, voltava a entranhar-se em mim, como se nunca tivesse ido, quando voltava a poder olhar para ti.
Mas depois de deixar de te espreitar por entre as cabeças da plateia e os seus (e meus) fios de cabelo, quando finalmente te encarei, chegámos perto um do outro e a conversa começou - como sempre - do mesmo modo: olhares tímidos a darem expressão a corpos a pedir odores. E tudo isto sem precisarmos de falar, só de escutar (perceber) o silêncio. Ou o cheiro.
Hoje – diferente da altura em que me questionaste - já sei responder-te qual é a primeira de todas as paixões. É o cheiro na pele. E o teu é único, atrever-me-ia a dizer o único que penetra completamente em mim. E que combina.
E aqui estou ou continuo eu: a apaixonar-me por ti sempre que te vejo. Ou então já sou possuidora deste sentimento sempre, mas quando estás longe, quando tens de ausentar-te, este atenua-se e só se volta a expressar quando te vejo. Mas vou-me lembrando – ainda que cada vez mais ocasional – de ti. Tal e qual como o cheiro – vou odorizando-o – mesmo com algumas constipações.

100 comentários:

  1. os cheiros,os cheiros. são sempre o que mais fica,para além das memórias. lindo*

    ResponderEliminar
  2. obrigada, tinha 13 anos naquela fotografia :p

    ResponderEliminar
  3. tu tens um jeitão para escrever fogo, amo!

    ResponderEliminar
  4. eu também gosto muito . e o que ela diz está mais que certo :)

    ResponderEliminar
  5. a vida seria bem mais fácil se as pessoas estivessem comnosco eternamente, mas feliz - ou infelizmente não estão. força para ti igualmente, minha linda!

    ResponderEliminar
  6. pois por vezes nem sempre e' nossa culpa;)

    ResponderEliminar
  7. obrigada pela companhia, vamos! sem medos" percorrer o infinito ;D

    ResponderEliminar
  8. delicioso, "cheiroso"!
    o cheiro é sempre importante, e quando o nosso cheiro passa a misturar-se c o da outra pessoa, a paixão é certa

    ResponderEliminar
  9. lindo, lindo, lindo mafalda!
    sabes eu às vezes fico mesmo a pensar que é por o odor ficar entranhado na nossa pele que a saudade não pára de nos pesar no dorso.

    quanto a mim, sim, sinto um aperto vazio no peito cada vez que fala dele e cada vez que me fazem lembrar dele.

    ResponderEliminar
  10. engraçado, é que o teu blog é um dos que visito quase todos os dias! :)

    ResponderEliminar
  11. muito obrigado querida (:
    adorei imenso o texto.
    beijinho *

    ResponderEliminar
  12. pois é , o ser humano é mesmo assim...

    ResponderEliminar
  13. pois é , o ser humano é mesmo assim...

    ResponderEliminar
  14. muito obrigada :)
    adorei o texto :*

    Beijinhos querida

    ResponderEliminar
  15. por causa das imagens pensei que gostasses de eyeliner:)

    ResponderEliminar
  16. apertadinho pela saudade, apertadinho por continuar com a certeza que podia ter sido doutra maneira. neste momento, o gostar para mim é relativo, porque eu não gosto, mas o meu passado fala sempre mais alto.

    ResponderEliminar
  17. mas ele em vez de a tentar conquistar, faz de mim a doida na história. dá-me o teu mail xuxu *

    ResponderEliminar
  18. obrigada minha linda <3

    escreves com muita intensidade e eu adoro, sabes disso. *

    ResponderEliminar
  19. secalhar porque não o devia fazer, acha isso um erro :|

    ResponderEliminar
  20. Obrigada minha linda. É mesmo gratificante perceber que quem me segue, gosta do que eu transmito (':

    ResponderEliminar
  21. é essa a minha intenção, mafalda linda :)

    ResponderEliminar
  22. que belo texto.
    há sempre pequenas coisas que ficam :) que marcam...e que nos fazem lembrar.

    beijinho

    ResponderEliminar
  23. muitooooo obrigadaaa querida :*

    adorei o teu post

    ResponderEliminar
  24. tão lindoooo -.-
    tens imenso jeito!!!

    ResponderEliminar
  25. gostei :) é esse o cheiro que nos prende, inconfundível e arrebatador quando chega.

    ResponderEliminar
  26. Juro-te que comer isto, depois de vir das aulas, dá uma leveza brutal :)

    ResponderEliminar
  27. Ai que texto mais liiindo! Que inspiração,hein? Simplesmente adorei...
    "E aqui estou ou continuo eu: a apaixonar-me por ti sempre que te vejo. Ou então já sou possuidora deste sentimento sempre, mas quando estás longe, quando tens de ausentar-te, este atenua-se e só se volta a expressar quando te vejo."
    Adoreiiiii :O
    bjus,querida!

    ResponderEliminar
  28. Oh querida, o nosso coração não escolhe quem ama, de quem gosta, mas acabamos sempre por segui-lo (:

    ResponderEliminar
  29. ainda bem que gostas querida!! deves ser das poucas.. loool
    tambem gosto muito de vir aquii!!
    beijinho*

    ResponderEliminar
  30. oh, és uma querida, muito obrigada mesmo :)

    ResponderEliminar
  31. penso que nesta altura, é o que toda a gente precisa!

    ResponderEliminar
  32. origada, obrigada minha querida =)
    ainda bem que gostaste

    ResponderEliminar
  33. Continuo a dizer que adoro o que escreves! E essas tuas pequenas "notas" que pões entre os travessões encaixam sempre tão bem!

    Grande beijinho :)

    ResponderEliminar
  34. um imenso obrigada mafalda. és sempre excelente comigo!

    ResponderEliminar
  35. de novo, um enorme obrigada pelo carinho (:

    ResponderEliminar
  36. gosto muito!
    (desculpa a ausência, estou de volta!)

    ResponderEliminar
  37. quando estamos prestes a fechar a porta..

    ResponderEliminar
  38. obrigada querida, gostei muito *-*

    ResponderEliminar
  39. ahhh , muito obrigada u.u agora já consigo comentar :D

    ResponderEliminar
  40. não muito, sou mais do tipo de pessoa que acredita que um segundo nos pode mudar a vida inteira :)

    ResponderEliminar
  41. obrigada querida (:
    gostei do texto

    ResponderEliminar
  42. own, eu é que adoro quando vais ao meu blogue! Bjus!

    ResponderEliminar