sábado, maio 7

O bilhete III




Minha querida boneca de porcelana, talvez hoje seja o dia certo para te dizer o porquê de gostar da tua nudez – de te desnudar, sabes? Embora não saiba se me podes compreender, porque afinal tu não podes perceber o que é alguém inspirar-te, quando tu és a inspiração de alguém todos os dias – a minha diria eu, se me pudesses escutar para entender – não concordas comigo? Mas eu vou tentar explicar-te, porcelana preciosa.
Eu gosto de te desnudar – ou trocar-te as roupas – porque cada vez que te dispo, posso observar cada nódoa que trazes no corpo, e é isto que não sabes, mas eu julgo-as um sonho teu realizado – e tu tens tantas. E depois eu gosto sempre de acariciar as tuas cicatrizes, gosto de te passar um dedo ao de leve e seguidamente esfregá-las, esfregá-las com todo o carinho que possuo em mim, como se pudesse ficar igual a ti – manchada de sonhos.
É isso, para mim, tu não trazes nódoas no corpo, trazes sonhos, e eu poderia dizer-te que invejava isso em ti não fosses tu a minha boneca musa sonhadora, a pessoa mais bonita que se alçou na minha vida. És bonita, bonita mesmo, nesses teus calções de cor clara e nessa camisola de cor magenta – como te apresentas hoje – e és ainda mais bonita nesse teu interior – como te apresentas sempre - de cor do céu. É assim que o imagino: azul.
Azul por ser a cor do céu, por me parecer a mim que estás sempre tão perto de tocar nas alturas – por sonhares, sabes? E isso faz de ti uma figura tão discrepante de mim. Eu que te pareço corajosa, sou mais frágil que tu, e contenho um interior mais escuro que o teu – diria cinzento se soubesse qual era a cor do medo.
E é nesta grandiosa afeição que te trago, que me vou confessando: eu tenho medo de sonhar, minha boneca frágil – ou diria antes destemida. Talvez por isso, é que tu me chames de pessoa – ainda que a tua querida pessoa – pessoa. Chamas-me pessoa porque eu tenho medos – até medo de sonhar. Dentro do teu íntimo, sabes que não sou possuidora de alento algum, nem da arte de sonhar, e por isso – ainda que inconsciente – chamas-me de pessoa. Enquanto eu te chamo de boneca. Porque os bonecos são para nos fazer felizes – como tu me fazes a mim – são para nos tirar os medos da noite, são para nos fazer imaginar, imaginar para sonhar.
Lamento que ainda não tenhas descoberto que eu sou feita de vidro – não de porcelana – de vidro. Vidro comum e com alguns pedaços partidos, por me ter desnudado e por previsivelmente me terem roubado a arte de sonhar. É por isso, boneca de porcelana, que eu não gosto que te toquem – além de mim – porque não quero que tu fiques feita estilhaços de vidro e com medo de sonhar. Não quero que fiques igual a mim.
A fragilidade – que na verdade é uma máscara que transportas para a tua coragem – achas ser o que te restou, e eu digo, que de tudo o que detive, tu és a única ente que ainda me pertence - fossemos nós humanos ser algum dia pertences de alguém – tu és a única ente que ainda não se quebrou em mil. Ainda permaneces inteira, na pouca carne que sobreviveu, no meu coração, aos estilhaços de vidro – os que me foram espetando. Tu ainda és a única ente que não partiu nada em mim. E lamento que não tenhas notado que o caminho que tomo é – todo - na ânsia de proteger o teu coração, para poder acolher o que ainda sobra de mim: a inspiração por ti.

93 comentários:

  1. Tu escreves lindamente minha querido, deliciei-me por completo (:

    ResponderEliminar
  2. gostei especialmente deste texto :) *

    ResponderEliminar
  3. que doçura de texto mafaldinha *.* <3

    ResponderEliminar
  4. tens textos fantasticos Mafalda, são fofinhos não são? *-*

    ResponderEliminar
  5. muito obrigada Mafalda. és sempre tao querida *.*

    ResponderEliminar
  6. o que escreves é divinal Mafalda , completamente! é sempre melhor e mais bonito que o anterior.
    fascino-me. *

    ResponderEliminar
  7. Beautiful the text +.+
    Daniela_e1lvira@hotmail.com

    ResponderEliminar
  8. minha querida mafalda, sempre forte!

    ResponderEliminar
  9. obrigada querida ♥ ainda bem que gostaste!

    ResponderEliminar
  10. Tu podes não fazer poemas mas és mestre em fazer textos tão emocionantes...
    *.*
    Adoooro!
    bjus!

    ResponderEliminar
  11. que bela maneira de escrever! apaixonei-me

    ResponderEliminar
  12. Gostei imenso do blog :)
    Vou seguir*
    Beijinhos doces!

    ResponderEliminar
  13. que texto bonito mafalda :) gostei muito

    ResponderEliminar
  14. está super querido não está?
    ai, eu adoro aquele anúncio. *-*

    ResponderEliminar
  15. pois as saudades nao mata , mas moi.

    ResponderEliminar
  16. Espero que sim, obrigada Mafaldan (L)

    ResponderEliminar
  17. por mais que estranho seja , temos sempre saudade/

    ResponderEliminar
  18. Sim, sou mesmo bastante directa, o que por vezes se pode tornar num enorme defeito. Obrigada querida, um beijo :)

    ResponderEliminar
  19. muito obrigada!
    amei, simplesmente!
    tu escreves TÃO bem :)))

    ResponderEliminar
  20. Muito obrigada querida, também gostei muito deste texto, tal como todos os outros :)
    Beijinhos doces!

    ResponderEliminar
  21. acho que podiam ser de muita gente, infelizmente :s

    ResponderEliminar
  22. ohhh, que encanto que isto está!

    ResponderEliminar
  23. És uma querida Mafaldinha, estás sempre presente (:
    Os teus textos são uma delicia !

    ResponderEliminar
  24. isso digo eu , dos teus maravilhosos textos.
    dá-me sempre vontade de cá vir, sempre que posso. <3

    ResponderEliminar
  25. QUE DELÍCIA DE TEXTO! :)

    "É isso, para mim, tu não trazes nódoas no corpo, trazes sonhos, e eu poderia dizer-te que invejava isso em ti não fosses tu a minha boneca musa sonhadora, a pessoa mais bonita que se alçou na minha vida."

    ResponderEliminar
  26. é sempre tão bom vir aqui e ler-te <3

    ResponderEliminar
  27. apeteceu.me ser (muitooo) lamechas xD

    já agora, gosto mt *

    ResponderEliminar
  28. então eu! :s

    "Talvez por isso, é que tu me chames de pessoa – ainda que a tua querida pessoa – pessoa. Chamas-me pessoa porque eu tenho medos – até medo de sonhar. "
    ser humano é isso: sonhar..

    by the way, tens facebook mafaldinha?

    ResponderEliminar
  29. obrigada, consegues sempre fazer com que continue a escrever

    ResponderEliminar
  30. Muito obrigada:) E obrigada pelos outros comentários também que não tive tempo de agradecer:)

    ResponderEliminar
  31. É mesmo, não sei o que seria de mim sem a minha mãe.
    Obrigada*

    ResponderEliminar
  32. prezo em saber que ainda me segues com esse amor todo, minha princesa *

    ResponderEliminar
  33. a mim já me aconteceram várias coisas, daí acreditar (..) gosto do post *

    ResponderEliminar
  34. Siim, o problema é que eles mudam e a maior parte das vezes não somos fortes o suficiente para acompanhar essa mudança :x

    ResponderEliminar
  35. "E lamento que não tenhas notado que o caminho que tomo é – todo - na ânsia de proteger o teu coração, para poder acolher o que ainda sobra de mim: a inspiração por ti." perfeito, adoro.

    ResponderEliminar
  36. Isso digo eu, querida. Adorei, e cada vez gosto mais de te ler :)

    ResponderEliminar
  37. imagino que sim, mas não gosto de mim e pioro toda a gente que convive comigo , estou de mal a pior

    mas obrigado pela força !

    ResponderEliminar
  38. adorei minha querida, muitos parabens pelo magnifico blog. e obrigada :)
    um beijo.

    ResponderEliminar
  39. oh mais uma vez muito obrigada mafs, sempre um doce <3<3

    ResponderEliminar