quinta-feira, abril 28

Olhos para (não) ver




Hoje – num dos tantos dias que fiquei para dormir contigo – senti que não pertencia a este espaço. Ao teu espaço. Reparei eu – enquanto o sono não vinha - que o teu quarto é azul, que a tua cama é – demasiado – grande e que nessas fotografias que vais pregando nesse quadro de cortiça eu não estou em nenhuma.
Vê lá meu amor, foi preciso o sono não me vir, para ver os quão afastados estamos nós. Ou o quanto distante eu estou do lugar onde me queria achar - o teu coração.
As paredes do meu quarto – tão desiguais das tuas - estão cobertas com os teus retratos, estão cheias de poemas que para ti rabisco e ainda odorizam à transpiração que tu deixas - quando ficas para dormir. Já viste o quão próximo eu te mantenho de mim, como me deixo penetrar de amores por ti?
Mas tu não me envolves no teu espaço meu amor, e por isso eu decidi que ao amanhecer, já não estarei aqui para te ver acordar. Os meus passos não seguirão mais os teus, porque na tua alma não me encontro eu. Tu nunca quiseste calçar o amor comigo, calçar-te nele, nós os dois. Pequeno erro meu, aperceber-me só agora, do quão longe tu caminhas.
De hoje não passa meu amor, eu cansei-me desta melancolia de alma e fugi, sem fazer barulho, fugi ou preparei-me para me ausentar de ti. Mas tu acordaste – deve ter sido do meu choro sem lágrimas - e perguntaste-me onde ia tão cedo, e eu disse, que me ia embora. Não abonaste muito significado – mais uma vez – e eu repeti-me, vou-me embora meu amor, mas não volto, os meus olhos castanhos ternurentos, cansaram-se hoje de olhar para os teus. Esses teus, de olhar tão característico, de cor clara, de confiança experimentada, cansaram os meus, mais escuros, agora de criatura tão abalada.
Respondeste-me - sem olhar para mim - que nunca cá tinha estado. E eu chorei mais uma vez, mas sem lágrimas – como se eu fosse o mar e tu areia, areia seca, por já não ver mais mar.
Só agora percebo porque é que os meus olhos me pediram para não encontrar mais os teus. Roubaste a emoção. Cansaste-os com essas tuas palavras imponderadas. E eu olhei, uma última vez, para esses teus olhos, e disse, estou cansada que nunca tenhas levantado o rosto e tenhas aberto os teus olhos - tanto quanto pudesses - para veres que os meus, estes que estiveram sempre e só abertos para ti, meu amor. Estou cansada que nunca os tenhas levantado, para veres que estava aqui. Olhei-te tempo demais e cansei-os.
E devo ter-me tornado apática, porque não senti nada - mais nada - quando fui. Nem quando me escreveste um bilhete a dizer, devias ter tido mais robustez e permanecer comigo porque foi pelo teu olhar que me apaixonei. E eu podia ter-te respondido - mas nem isso a dormência me deixou fazer - um dia a esperança morreu no meu olhar, a minha esperança em ti, e os meus olhos fecharam-se, para nunca mais abrir. Pelo menos para ti.


Mais um, mais um que podia ser um recado meu para ti.

89 comentários:

  1. está tão lindo.. tens um dom enorme e dá-me sempre um gosto em ler tudo o que escreves..
    « Respondeste-me - sem olhar para mim - que nunca cá tinha estado. E eu chorei mais uma vez, mas sem lágrimas – como se eu fosse o mar e tu areia, areia seca, por já não ver mais mar. » LINDO LINDO LINDO<3

    ResponderEliminar
  2. A sério? *.*

    "olhos para (não) ver", realmente às vezes parece que eles vêm bem, de repente parece que tudo passou sem nós ver-mos nada.

    ResponderEliminar
  3. "Tu nunca quiseste calçar o amor comigo, calçar-te nele, nós os dois." que frase, linda!

    ResponderEliminar
  4. muito obrigado.
    bem amo a forma como tu escreves, lindo, fantástico!

    ResponderEliminar
  5. uau uau uau! fico sempre sem palavras com tudo o que escreves. é sempre acessível e nunca cansa ler,é tão bom. e obrigada mafaldinha <3

    ResponderEliminar
  6. Mas pode se sempre tentar :/
    obrigada linda <3

    ResponderEliminar
  7. Oh minha querida *
    Muito muito obrigada, mesmo! (:

    ResponderEliminar
  8. Gosto tanto :) obrigada pelo comentário!

    ResponderEliminar
  9. obrigada querida! vamos sim querida <3

    ResponderEliminar
  10. Mais uma vez está lindo :)
    Tenho 1.76 xD E queres saber ua sobre mim? Tenho uma marca de nascença no braço direito :p

    ResponderEliminar
  11. Que coisa mais encantadora!Eu simplesmente adorei,querida! Muitos bjus, bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  12. Sim querida, mas já estou melhor. Quanto a essa frase tenho de discordar, gosto de pessoas com os pés bem assentes na terra e como tal, "cada palavra usam-na como esperança e motivo de luta" acho mt mau, até porque acho que são pessoas que se iludem por tudo e por nada e acho que um pouco de desconfiança e mistério tem sempre outro saber. Lamento nem saber o que é desfrutar de uma amizade com esta pessoa, mas é de todo impossivel, talvez por minha culpa não sei, não consigo mesmo.
    Quanto ao meu mais recente post, tenho de concordar quando dizes que sou muito directa, disse este texto á pessoa em causa, disse-lhe pessoalmente e tive a reacção que queria, não aguento ver as coisas passar-me á frente dos olhos e saber os factos e mentirem-me. Muitos beijinhos e um enorme obrigada!

    ResponderEliminar
  13. Não acreditavas por que :p? Sou alta, tu tambem nao és muito baixinha :p

    ResponderEliminar
  14. O post está lindo !
    Amei +.+
    Tens muito jeito :)

    ResponderEliminar
  15. espero bem querida, tenho 16 na disciplina. não é muito mas já não é mau! :)

    ResponderEliminar
  16. Olá! :)

    http://itsabeautifulmonday.blogspot.com

    Dá uma espreitadela! É um blog de venda de roupa online em 2º mão.
    Se gostares, segue e recomenda ;)

    Beijinhos,
    Rita

    ResponderEliminar
  17. obrigada, eles saem muito facilmente o:

    ResponderEliminar
  18. eu também gosto muito, mesmo!
    tudo o que li dele, adorei :)

    ResponderEliminar
  19. podes-me dizer quais são as cadeiras? :$

    ResponderEliminar
  20. obrigada querida, com as tuas explicações estás-me a tirar todas as dúvidas que tinha :)

    ResponderEliminar
  21. fiquei muito entusiasmada! em que universidade estás?

    ResponderEliminar
  22. eu chorei ao ler isto, não sei bem porquê, mas tocou-me tanto. como adoro os teus textos! às vezes identifico-me neles no passado e até no presente <3

    ResponderEliminar
  23. Acredito que se conhecem as pessoas pela forma como olham o Mundo, mesmo s/ se aperceberem...
    E há momentos em q o nosso coração abre os olhos, há momentos em que precisamos agarrar todas as forças, e sair... Há (sempre) um Mundo que nos espera, haverá sempre dias de Sol, dias de Vida.

    ResponderEliminar
  24. obrigado, querida Mafalda (':
    este textinho delicioso abanou qualquer coisa cá dentro, a tua escrita tem esse dom, de fazer mexer quem atenta nela. Devias escrever um livro (:

    ResponderEliminar
  25. Olá! :)

    http://itsabeautifulmonday.blogspot.com

    Dá uma espreitadela! É um blog de venda de roupa online em 2º mão.
    Se gostares, segue e recomenda ;)

    Beijinhos,
    Rita

    ResponderEliminar
  26. sim, eu também aprecio (e muito!) a simplicidade das pessoas. mas, na blogosfera, o fundo, o aspecto estético do nosso blog é, no fundo, a nossa cara, aquilo que nos define. se entro num blog simples, sei que a pessoa que o escreve, em princípio, será também simples. e a escrita também assim será: simples, honesta, mas, contudo, cativante, viciante. acho que as primeiras impressões contam muito! (:
    o sentimento de evolução é enorme, mesmo. e sabe tãããããão bem sentir essa evolução vinda de nós. é como se crescêssemos em mentalidade uns 10 anos! como se passássemos de crianças de 10 anos para adultos de 25, com uma maturidade já mais elevada!
    tal como tu, também não me arrependo nem um pouco de ter criado um blog. além de preservar o meu gosto pela escrita e de o treinar, ajudo-me a conhecer a mim mesma, em parte por libertar todos estes sentimentos que vão dentro de mim em palavras, mas também por encontrar blogs fabulosos com os quais me identifico muito!

    ResponderEliminar
  27. Não feches é os olhos para o teu coração e para a tua felicidade, está bem?

    maravilhoso como sempre *

    ResponderEliminar
  28. mais um lindo texto mafalda, really :)

    ResponderEliminar
  29. Escreves tão, mas tão bem!
    Está tão triste, e tão bonito. Gostei muito :)

    ResponderEliminar
  30. obrigada, os teus também são sempre cativantes $:

    ResponderEliminar
  31. "Tu nunca quiseste calçar o amor comigo, calçar-te nele, nós os dois. Pequeno erro meu, aperceber-me só agora, do quão longe tu caminhas." está muito bom!

    ResponderEliminar
  32. lisboa, coimbra, covilhã, algarve... quero é entrar em psicologia, seja lá onde for *.*

    ResponderEliminar
  33. Com a mãe, acabei de completar 18 anos só :) sim foi do desmaio, mas ainda estou em recuperação, obrigada querida Mafalda :) Sim eu entendo-te mt bem, e como sabes e dizes bem, a culpa nunca é só de uma pessoa. É sempre das duas embora uma acarrete mais peso do que a outra pessoa. Identifico-me muito contigo e com as tuas historias. Um enorme beijo e Feliz dia da mãe!

    ResponderEliminar
  34. Grande texto Mafalda, obrigada igualmente (:

    ResponderEliminar
  35. sim, fica a marcação mas passado uns 6meses já não se nota :) só se nota nos primeiros 3meses pq ainda tens o buraquinho.

    ResponderEliminar
  36. Sim, coitado do senhor, mas pronto... :b
    Acho que o senhor não percebi muito do assunto, só espero que não tenha apanhado multa :s

    ResponderEliminar
  37. muito obrigada linda! devo dizer-te que é bom ouvir isso, e também me sinto como tu ao ler tudo o que escreves, com amor e sabedoria, existem realmente pessoas que não conseguem amar e dedicar, saber sentir e escrever, e tu és daquelas pessoas que tem um talento enorme, e como tal todos os teus textos deviam ser um livro com ou sem capitulos e de certeza que eu iria querer o primeiro exemplar. :') <3

    ResponderEliminar
  38. que texto bonito.
    :) mostra como num amor, não existe só um coração mas dois unidos.

    ResponderEliminar
  39. gostei mt*
    obrigada querida :) tbm t vou seguir. diz-me so qual e o teu blog 'base' e q usas mais $:

    ResponderEliminar
  40. muito obrigada mais uma vez minha querida :)

    ResponderEliminar
  41. eu o dos varios autores conhecia ja :b vou seguir os outros dois teus

    ResponderEliminar
  42. sou de seia, serra da estrela :) e tu?

    ResponderEliminar
  43. ó Mafaldinha, sou tão feliz :)

    ResponderEliminar
  44. ó Mafaldinha, sou tão feliz :)

    ResponderEliminar
  45. Eu também não sou muito do meu pai querida, muito sinceramente... Ambos cometeram erros graves, embora o meu pai esteja agora a tentar recuperar o tempo perdido...
    Mas eu e a minha mãe já não temos mesmo volta a dar, acho que não vale a pena e só me chateio quando devia estar descansada. É melhor assim querida, uma para cada lado (:

    ResponderEliminar
  46. Acho que é a primeira vez que aqui e entro e estou encantada. O teu outro cantinho diz-me muito, mas este texto está totalmente delicioso :)
    Ainda não é desta que te respondo à pergunta. Amanhã volto ao teu outro e respondo-te porque ainda demora e tenho de me ir deitar :P
    Adorei o texto e foi um espelho daqueles!
    Obrigada, querida :')

    ResponderEliminar
  47. obrigada querida, também estou a seguir *-*
    eu adoro-o também (:

    ResponderEliminar
  48. oh minha querida nem sei o que dizer.
    foi dos melhores comentários que já recebi em toda a minha vida.
    obrigada MUITO obrigada<3

    ResponderEliminar
  49. mas nem sempre somos o papel principal das nossas vidas

    ResponderEliminar
  50. acho que ela tem a capacidade de falar por muitos de nós :)

    ResponderEliminar