sábado, abril 23

Ferida aberta




Já não te vejo há tanto tempo, meu grande amor, que embora conhecendo-te de cor, já não sou capaz de decifrar o que assoberba esse teu coração inerte.
Um dia - em tempos - fui um pedacinho eu. Eu preenchi, docemente, todas as armaduras desse coração – ou qualquer coisa que dele sobrou – áspero. Fui eu - um dia – que limei essas armaduras sujas que te deixaram golpe e que cosi – sem saber pegar numa agulha - toda essa abertura que acabou contigo.
Sem trespassar qualquer ferida, fui eu - em tempos - que cuidei de ti, meu grande amor. Levei-te para casa, depois de te descobrir gasto – como se tu fosses uma sola de sapato velha - e amei-te com todo o afecto que possuí. Fui recheando essa cova que tinhas no peito e tornei-o um coração. Depois tentei fazê-lo crescer, crescer de amores por mim.
Sem curativos velozes, só eu com a minha paciência, fui esperando, que todo o amor que te ia dando me recompensasse. Eu tentei plantar amores nesse teu espalmado buraco - depois de o fazer coração - e esperei colher os proveitos. Esperei que chorasses os sinais mal costurados, que estes se rasgassem com as convulsões da dor, para que depois - juntos – pudéssemos perdermo-nos nos filamentos dos nossos corações e enovela-lo num só.
Em tempos - quando ainda acreditava - fui eu que te fui enchendo a alma, ao contar-te os sonhos. Todos os dias – quando amanhecia – acordava-te com o sussurro de um novo sonho. Um sonho bonito para fazer renascer um coração feio.
Mas já não te vejo já tanto tempo, meu grande amor, que já não sou capaz de decifrar o que te enche esse coração – que um dia foi feio. Apenas sei, que em tempos, foi a dor que eu curei - na esperança que um dia fosse eu – que encheu esse teu coração. Mas hoje, embora conhecendo-te tão bem, eu já não sei o que trazes nas entranhas da alma, porque tive de partir. Perdi-me a secar o teu desgosto e quando voltei a descobrir-me já estava a sujidade a penetrar-me na alma. Tornei-me amarga por tanta amabilidade que te presenteei - mas infeliz de ti que não tens culpa que te tenham aberto o coração.
Mas tu nunca ousaste retribuir os sonhos bonitos que te contei, disseste-me apenas palavras frígidas que me iam dilacerando o coração, e eu tive de partir. Eu tive de partir, porque eu também preciso que me encontrem e me levem para casa. Eu também preciso que me amem com todo o amor que possuem. Eu também preciso.


Este podia ser mais um recado meu para ti.

103 comentários:

  1. muito obrigada.
    somos sortudas na medida que temos pessoas junto de nós, que tentam "apagar" a nossa dor.

    ResponderEliminar
  2. é o que eu digo, os invejosos são assim...

    ResponderEliminar
  3. Diz não diz? Pois a mim diz tudo . É a diferença de escolher entre alguém que só quer o nosso bem , que espera por nós e alguém que estamos a espera ( algo dessa pessoa ) que sabemos que não vai vir .. que essa pessoa não vai mudar .

    ResponderEliminar
  4. oh meu deus :| que LINDO que lindo, que cheio de sentimento, de amor..
    és daquelas pessoas que vejo que tem um grande coração, e sabe dar valor aos outros e realmente és capaz de amar com toda a alma, curando um coração de alguém.
    <3

    ResponderEliminar
  5. ADORO, escreves muito bem! também sigo*

    ResponderEliminar
  6. obrigada linda , mesmo :)
    também gostei muito do teu ;)

    ResponderEliminar
  7. Muito obrigada por gostares do que escrevo:)
    E adorei este texto também:)

    ResponderEliminar
  8. sinceramente não percebo as intenções dele, mas pouca diferença me faz porque não estou disposta a "ceder".

    ResponderEliminar
  9. cada vez gosto mais dos teus textos :')
    são tão verdadeiros, tão bem escritos, tão adoráveis!
    és fantástica, Mafalda, fantástica! :')

    ResponderEliminar
  10. é verdade querida, mas não deveríamos dizê-lo a ninguém: deixamos sempre alguém com a esperançazinha que ficaremos para sempre, e nem sempre ficamos.
    mais um grande post teu, querida :)
    *

    ResponderEliminar
  11. precisamos sempre de alguém que cuide de nós. adorei :)

    ResponderEliminar
  12. Bom dia :)
    Sim, consegui descansar e estou como nova :D
    o teu texto sim está bem forte! E lindo, para não variar.
    Pois é, andamos todos uns nas mãos dos outros e nem sabemos.

    ResponderEliminar
  13. Vem comigo meu bem, vem comigo porque sei que sentes exactamente o mesmo que eu.
    Mereces mais que tudo *

    ResponderEliminar
  14. Oh minha querida, espero que sim, espero bem que sim... (:

    Adorei o texto!! Mais uma vez :D

    ResponderEliminar
  15. Gostaste assim tanto? *--*


    Olha eu amei o teu, tem partes que me fizeram chorar, ou as lágrimas me vieram aos olhos por coincidir comigo por exemplo "Já não te vejo há tanto tempo, meu grande amor, que embora conhecendo-te de cor, já não sou capaz de decifrar o que assoberba esse teu coração inerte." ou "Em tempos - quando ainda acreditava - fui eu que te fui enchendo a alma, ao contar-te os sonhos. Todos os dias – quando amanhecia – acordava-te com o sussurro de um novo sonho. Um sonho bonito para fazer renascer um coração feio."

    Muita força*

    ResponderEliminar
  16. que texto tão característico deste blogue.. adorei.. e sei o que é também precisar que me amem com todo o amor que possuem, depois de eu o ter feito..

    ResponderEliminar
  17. mas por vezes o medo ultrapassa o nosso ser,

    ResponderEliminar
  18. entendo tão bem, o texto está lindo, apesar de o sentimento que nele está contido, nós damos, mas como já disse uma vez muito antes de querer, nós também precisamos de receber! Força!

    ResponderEliminar
  19. obrigada :D
    escreves muito bem!
    *.*

    ResponderEliminar
  20. 13 é o meu numero do azar :x
    eu sinto-me nos dias 23 e 6 v.v

    ResponderEliminar
  21. Falta, mas acredita que passa num instante! sim acho que era demasiada perfeição para mim e eu estava a lidar muito mal com isso e acho que a amizade entre nós resulta lindamente! Obrigada e desculpa a demora, mas não vinha ao blog há alguns dias (:
    "Eu também preciso que me amem com todo o amor que possuem. Eu também preciso" Adorei adorei !

    ResponderEliminar
  22. já tratei de fazer o mesmo com todo o gosto :)

    ResponderEliminar
  23. Obrigada :) Também gostei muito :)

    ResponderEliminar
  24. odeio quando as pessoas prometem as coisas , e nos proprios ficamos iludidos com isso :s

    ResponderEliminar
  25. como está a ser? achas interessante? :)

    ResponderEliminar
  26. Foi o mais lindo que já li por aqui! Emocionante, tocou a alma!
    *___*

    ResponderEliminar
  27. muita verdade querida *
    tens ido ao outro blog amor?

    ResponderEliminar
  28. ohh, obrigada.
    sim, sem dúvida que a simplicidade é muito mais bonita de se ver e apela muito mais à leitura, no caso dos blogs. eu ainda não tive tempo de fazer o que realmente quero fazer, que é ler este teu blog (o teu e o de muitos outros que eu sigo). mas, um dia, sei que ainda o vou fazer. leio alguns post's que as pessoas que sigo vão postando, mas não consigo acompanhar todos. um dia, quando tiver mais tempo livre, será isso a fazer. quero mesmo descobrir os cantinhos dos blogs que sigo!
    sim, eu adoro ler o que escrevia no início, porque posso sempre pensar: bem, eu gosto muito mais da forma como escrevo agora! e isso é bom. é sinal que gosto do que escrevo e sinto que evolui! :)

    ResponderEliminar
  29. pois não. não é nada mesmo. muito obrigada (:

    ResponderEliminar
  30. haja alguem que me compreenda. comigo e' exactamente a mesma coisa ;)

    ResponderEliminar
  31. as tuas palavras são de uma doçura tremenda, adoro :)
    e cuida-me desse coração, está bem?

    ResponderEliminar
  32. que cena, eu tenho só no final pq é nono ano :s

    ResponderEliminar
  33. muito obrigada :D
    está bastante bonito, atrevo-me a dizer apaixonante*

    ResponderEliminar
  34. "Eu tive de partir, porque eu também preciso que me encontrem e me levem para casa. " fantástico Mafalda.

    ResponderEliminar
  35. sou forte mas como tudo ah alturas que caio :s

    ResponderEliminar
  36. obrigado malfalda mas nao fui eu que escrevi :D

    ResponderEliminar
  37. Lindo, adoro a maneira como escreves! :'x está lindo!
    Sim, comigo foi também no 11º ano que eu sofri por causa "dele". Ainda hoje me dói quando me lembro, é uma coisa que sinto que nunca irei esquecer!

    ResponderEliminar
  38. De nada (:
    Eu também já pensei o mesmo sinceramente! Mas também, só conseguimos ter força para superar isso porque amavamos de verdade a pessoa com quem estamos. Soubemos dar uma segunda oportunidade. Apesar de ainda hoje não me esquecer do quanto ele me magoou, não me arrependo de lhe ter dado essa oportunidade (:

    ResponderEliminar
  39. obrigada querida, tens toda a razão...sou apenas mais uma pessoa, na lista de inúmeras elas, que quer alcançar tudo aquilo.

    e quanto a este belissimo texto, gostei tanto.
    todos aqueles que já amaram alguém e, por alguma inconveniência da vida, se separaram...sentem a existência de pequenas cinzas, sentem a diferença da presenta da tal pessoa...sentem tudo isso que descreveste tão docemente :)

    ResponderEliminar
  40. como sempre lindo,já é de adivinhar mafalda :)

    ResponderEliminar
  41. por ti e por mim. para te ser sincera, atrevo-me a dizer pelo mundo.

    ResponderEliminar
  42. eu também! e ainda nem lá estou, achas um curso complicado?

    ResponderEliminar
  43. estou em científico e tenho boa nota por acaso, mas assim já fico com medo xD

    ResponderEliminar
  44. apenas disse o que achava fofinha , e é mesmo verdade aquilo que te disse <3

    ResponderEliminar
  45. Assim nao posso falar contigo :c
    Sim :D

    ResponderEliminar
  46. sempre fantástico mafalda, ensina-me a escrever como tu! **

    ResponderEliminar
  47. é, eu vou passando por aqui de vez em quando, quando dá tempo :b

    ResponderEliminar
  48. Mas no meu caso querida, isso não ajuda muito, porque se dou uma simples e pequena palavra usam-na como esperança e motivo de luta, e eu nao sei lidar nada bem com isso. Pois, mas eu nem consigo tentar, porque sei que não vai resultar pelo simples factos de os feitios serem extremos. Tenho andado doente, foi por isso que deixei de vir cá tantas vezes querida. Muito obrigada eu minha querida, quem era eu sem estas palavras :)

    ResponderEliminar
  49. oh obrigado, nem sabes como é bom ouvir isso! :'))

    ResponderEliminar
  50. Obrigada, também já te sigo (:
    Adorei este texto *-*

    ResponderEliminar
  51. eu realmente adoro os teus textos :)

    ResponderEliminar
  52. Lindo !! Amei +.+
    Todos nós precisamos de alguém que trate de nós !
    Blog muito giro :)

    ResponderEliminar
  53. Se fizeres o piercing no nariz num centro mesmo de piercings e tatuagens, como deve ser, não dói. Eu já furei 5 vezes o meu nariz, por razões diversas... ou porque a diretora do colégio nao gostou, ou porque quando ia a trocar de piercing o buraco fechou, ou porque fui estagiar, ou porque mil e uma coisas. Não dói nada do outro mundo! Só me doeu quando fiz a 'pistola' como nas orelhas... é uma dor cega mesmo :|

    ResponderEliminar