sexta-feira, março 4

Mudança

Minha querida amiga, tu que me dizes que «as coisas já não são o que eram» não tens noção do que é morrer com palavras. As tuas palavras.Agora as minhas palavras para ti são sempre pensadas com medo de me exceder e dizer-te mais do que os limites de agora permitem. Antes tinha mil assuntos e nada para te dizer, não hesitava uma vez, em que momento o silêncio devia ser cheio ou em que momento devia acabar as tuas frases com palavras recheadas.
Minha querida amiga, para quem as coisas mudaram, tu não me conheces mais, para não saberes que eu ainda penso em ti e preciso de ti como antes. Tu não podes conhecer quem dizes que foi a tua grande amiga.Ainda continuas ser a mesma menina, a minha menina, pois o tempo não inferiu comigo. Tu continuas a ter a mesma imagem, como se houvesse parâmetros e tu continuasses a responder a todos afirmativamente.
Minha querida amiga, que de mim te perdeste, pareces-me como um primeiro amor, daqueles que nos custa a alma.
.
.
.
.
Tu és a minha saudade mas eu ainda tenho ânimo para te esperar.
Esperamos sempre por alguma coisa, e eu por ti espero. Nesta mágoa.
Minha querida amiga para quem as coisas mudaram.

43 comentários:

  1. E até que ponto serão levadas essas "mudanças"? (...) Só o futuro saberá a resposta

    ResponderEliminar
  2. É mesmo, obrigada linda!
    Adorei o teu texto mesmo, está lindo (: Amei!

    ResponderEliminar
  3. "Minha querida amiga, que de mim te perdeste, pareces-me como um primeiro amor, daqueles que nos custa a alma."
    por vezes é bem verdade...

    ResponderEliminar
  4. Nem sabes como é bom 'ouvir' isso.
    Adorei a mudança do blog. :)

    Quanto ao teu post... certo ou errado, a verdade é que esperamos sempre por quem gostamos. :)

    ResponderEliminar
  5. As coisas mudam sempre, não tenhas medo, continua a tratá-la da mesma maneira, as coisas acabam por ficar melhor, acredita! ADOREI!

    ResponderEliminar
  6. quando alguém sente que as coisas mudaram, é sempre tão doloroso. oh, muito obrigada. Fico feliz por saber isso :)

    ResponderEliminar
  7. adoro, adoro mesmo.
    bem, acho que a questão não é "será que não devíamos viver?" mas sim "será que estamos realmente a viver?". eu quero morrer feliz. o 2012 para mim é algo completamente neutro, não sei se hei-de acreditar ou se o hei-de encarar apenas como um mito qualquer. mas imaginemos que até é verdade. não quero chegar ao fim e ver que perdi a minha vida praticamente toda na escola, e que não vivi quase nada. que ainda me faltavam sonhos por realizar e objectivos por cumprir. não quero chegar ao fim sem ter "nada". é mais a isso que me refiro no post...

    ResponderEliminar
  8. Só me falta isso, confiança. É pena quando uma amizade que nos era um «quase tudo» enorme, se desvanece. Força *

    ResponderEliminar
  9. Também já me aconteceu, mas penso que agora não é tanto assim e sou mais virada para o que vem a seguir...

    ResponderEliminar
  10. Exacto, é isso mesmo. Somos mais pessoas e mais felizes porque sonhamos e porque o que nos move são esses mesmos sonhos. Eu, sinceramente, prefiro muito não pensar em 2012's e etc etc. Porque para dizer a verdade não aguento pensar que não vou terminar o curso de Psicologia na universidade, que não vou ter, um dia, uma família, uma boa casa, e um Husky, que vou morrer sem passar por Londres ou por Nova Iorque, que não vou conseguir criar um abrigo de animais como tanto desejava, que vou morrer sem ver alguém que quero precisamente ver antes de morrer. Enfim, pequenas coisas, mas são desejos, pelos quais lutamos, a fundo, sem fim, e eu não gosto mesmo nada de pensar que a minha vida vai acabar sem os ter concretizado... Não gosto *mesmo*!:s

    ResponderEliminar
  11. Oh querida, muito muito obrigada. Eu também adorei o teu blog (:
    Estou a seguir!

    ResponderEliminar
  12. obrigado, tambem gostei muito! e sigo-te*

    ResponderEliminar
  13. adorei e indenfico-me com o teu post de certa forma. e como dizes, é tudo uma questão de tempo, de esperar por algo que não sabemos se volta a ser igual, mas esperamos que sim.
    é incrivel como nos revemos nos textos uns dos outros, aqui por estes lados :)*

    ResponderEliminar
  14. esperemos, esperemos!
    e não querida :( estou no 12º, ainda! mas quero tirar psicologia na universidade, para o ano :P

    ResponderEliminar
  15. "não tens noção do que é morrer com palavras. com as tuas palavras"
    isto para mim resume todo o texto. adorei!

    ResponderEliminar
  16. eu só queria que fosse tudo um pouco menos difícil..

    ResponderEliminar
  17. Universidade da Beira Interior, é aqui onde moro, na Covilhã, não posso ir para fora :(

    ResponderEliminar
  18. ora aí esta :) o amor pode ter muitos sentidos, e todos os sentimentos estão de algum modo ligados ao amor. podemos morrer de amor, mas como dizes, também podemos morrer por falta dele!

    ResponderEliminar
  19. Respondendo ao teu querido comentário... o "pensar" é sempre tão relativo como o Ser.
    Quando te escrevo, tento sempre deixar uma mensagem

    ResponderEliminar
  20. A amizade é aquele sentimento que nunca se devia perder!! Infelizmente, sem darmos conta as coisas mudam!
    beijinho*

    ResponderEliminar
  21. Oh minha querida, muito muito obrigada (:

    ResponderEliminar
  22. Toda a nossa vida é Sempre levada até onde nós queremos. Nós somos os protagonistas.
    Pode existir sp algo que impeça que tudo seja como nos queremos, mas é em nós que está o Poder de decidir o rumo a seguir.

    E o tempo? O tempo demora Tempo. Não esperes pelo Tempo, ele passa, não resolve nem muda.

    ResponderEliminar
  23. ainda bem!
    - gosto tanto, fez-me lembrar uma situação minha, que até fiquei com as lágrimas nos olhos...

    ResponderEliminar