quinta-feira, fevereiro 10

Qual é a moral da história? III

Eu sou nato.
Tu és artificio.
Eu sempre preferi a nudez.
Tu sempre preferiste a camuflagem.
Mas eu apaixonei-me por ti.
Mas tu nunca gostaste de mim assim.
Eu projectei o meu coração a alguém camulfado.
Tu projectaste o teu coração a alguém desnuadado.
E eu muito fantasiava.
E tu muito me embalavas.
Enquanto eu muito te amava.
Tu nada gostavas.



Erro meu entregar o meu coração.
Erro teu pensares que seria para sempre.

19 comentários:

  1. Obrigada querida.. Eu só começo dia 28, mas ainda tenho a época de recurso!
    Força para o inicio de 2º semestre =)

    ResponderEliminar
  2. acredita!
    merecia mesmo uns dias de desespero , meu amor.
    faz-me um favor.
    será que me podes deixar o teu número ? vou sair daqui , já chega por hoje e preciso de alguém com quem falar. *

    ResponderEliminar
  3. O amor por vezes e' assim. :(

    ainda bem que gostas te , beijinhos

    ResponderEliminar
  4. está lindo, adorei mesmo.
    ohh, muito obrigada. fico mesmo muito feliz por saber isso <3

    ResponderEliminar
  5. Está lindo querida!
    E não pararei não *

    ResponderEliminar
  6. vou tentar descansar agora no fim-de-semana :)

    ResponderEliminar
  7. "Erro pensar que seria para sempre..."
    Que seja eterno enquanto dure,querida...
    Lindo texto...
    *.*
    Bjinhos e Bom fim de semana!
    http://lolisprincess.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. eu até posso estar a ser injusta, e talvez até tenhas razão,mas referia-me mesmo só aos homens!

    ResponderEliminar
  9. Demasiadamente profundo... Um demasiado que enche a alma e os olhos.

    ResponderEliminar
  10. A-M-E-I!

    "Erro meu entregar o meu coração.
    Erro teu pensares que seria para sempre." Desta nunca mais me esqueço!

    ResponderEliminar
  11. boa pergunta. acho que nunca se cura totalmente, as feridas continuam lá, apenas saram.

    ResponderEliminar