sexta-feira, agosto 27

Inconsciente

De que me vale ser consciente se inconscientemente já estou inconsciente? Tal e qual como tu e a “sede”; “sede” essa que inconscientemente me despertou um “apetite” (de ti), tal e qual como não queria, conscientemente.
Agora sinto “fome” e cada vez que não me “alimento”, não é o estômago que me repreende, é o coração.
No final de contas, bem podes ver que da razão pouco me resta…e do coração também! Tornou-se mais fácil, fingir que é um bocado de carne que goteja e pica as lágrimas do meu rosto, mas que se habitua às chagas do meu corpo.



10 comentários:

  1. não devia ser sempre inconscientemente?

    ResponderEliminar
  2. fica atenta a ti mesma que conseguirás (:

    ResponderEliminar
  3. Muito bom! Muito bom uso de palavras :D

    Sentes-te naquele post? :$
    É que escrevi e reli e pensei 'que confuso!' :s
    Mas pronto :D

    ResponderEliminar
  4. Ohh, muito obrigada minha querida $:

    ResponderEliminar
  5. meteste o meu blog na lista, que fofa ;o

    ResponderEliminar
  6. se inconscientemente doi, conscientemente mata.
    adorei querida*

    ResponderEliminar